3 dicas para garantir a produtividade em projetos industriais

3 dicas para garantir a produtividade em projetos industriais

Gerenciar projetos nos dias atuais  demandam esforço relevante e bastante foco por parte dos gerentes de projeto, tendo em vista o número de pessoas envolvidas nestes. Pois, uma vez que não aconteça o gerenciamento efetivo, isto pode desencadear diversos problemas que, se não forem sanados, ocasionarão prejuízos. Um desses problemas pode vir a ser o não cumprimento do prazo, ou até mesmo a falta de produtividade da equipe, uma vez que ambos estão conectados. Sendo assim, criamos este texto para te auxiliar e possibilitar mais produtividade em seus projetos e separamos três dicas imperdíveis para que você possa aplicar no gerenciamento de seus projetos. Nos acompanhe nesta leitura!

Independente da categoria do projeto, de sua complexidade técnica e do número de áreas e recursos envolvidos, todos eles têm algo em comum, precisam de planejamento e controle.



As indústrias são organizações com objetivo de produzir algum produto físico, sendo que suas operações demandam uma estrutura física robusta. No passado, em sua maioria, este tipo de empresa possuía uma estrutura organizacional funcional, ou seja, departamentalizada, com diretorias e/ou gerências bem específicas. Dentre os mais diversos departamentos que possam existir em uma organização, não que os outros não sejam importantes, contudo, o departamento de operações tem grande relevância e impacta diretamente nas atividades da empresa. Afinal, são o core business do negócio para que estas indústrias se mantenham competitivas, sendo assim precisam realizar projetos para suportarem essas operações, o que justifica também a importância do setor de projetos dentro da empresa. Desta forma, a grande maioria das indústrias tornaram-se organizações com estruturas matriciais, ou seja, com algumas áreas voltadas a projetos

Os projetos industriais podem ser realizados tanto pelas verbas de CAPEX, que aumentam o capital da organização, quanto pelas verbas de OPEX, que possibilitam o funcionamento das operações. Os projetos de CAPEX comumente são categorizados como expansões, sustaining, modernizações, P&D (pesquisa e desenvolvimento), TI (Tecnologia da Informação), SSMA (saúde, segurança e meio ambiente) e atendimento a legislações. E os projetos de OPEX podem ser de lean manufacturing, melhoria contínua, six sigma ou padronização de processos.

Independente da categoria do projeto, de sua complexidade técnica e do número de áreas e recursos envolvidos, todos eles têm algo em comum, precisam de planejamento e controle. Alguns destes projetos podem ter um ciclo de vida preditivo, ou seja, precisarão de grande esforço de planejamento em suas etapas iniciais e rígido controle ao longo de sua execução. Outros projetos apresentarão um ciclo de vida adaptativo (iterativo, incremental ou ágil) e terão seu planejamento realizado por backlogs curtos ou por ondas sucessivas.

E para que os projetos tenham sucesso, ou seja, sejam relevantes para a organização, atendam às expectativas das partes interessadas (stakeholders) e cumpram os requisitos de escopo, custo e prazo, separamos 3 dicas essenciais para nortear e garantir a produtividade em projetos industriais:

Dica 1: Elabore o Business Case do projeto:

O business case é um documento do negócio que deve ser elaborado para justificar a importância de um projeto para a organização. Entretanto, muitas empresas não elaboram este documento, o que gera dificuldades para definições iniciais dos projetos. É através do business case que se dá a diretriz para o gerente do projeto planejar de forma efetiva. A gestão de projetos deve ser iniciada bem antes do projeto propriamente dito, garantindo que este seja realmente viável e importante para o negócio. O planejamento estratégico e o gerenciamento de portfólios e programas, são essenciais para que os recursos da empresa sejam destinados para os projetos mais importantes. É no business case que são levantadas informações como custos reais, análise de ROI (retorno sobre o investimento), sumário dos riscos e prazos. Sendo assim, o business case trata basicamente de um documento vivo que mostra a viabilidade contínua do projeto. Cada empresa possui uma estrutura de governança de projetos, mas é uma boa prática que a primeira versão do business case seja elaborada pelo executivo (sponsor) ou pelo PMO (escritório de projetos). Os outros documentos relacionados ao Business Case, ou versões do mesmo, são de total responsabilidade do Gerente do projeto. O Gerente do Projeto também auxilia na criação do Business Case e oferece o suporte necessário ao executivo.

Dica 2: Defina a melhor estratégia para ciclo de vida de gerenciamento

O ciclo de vida de um projeto diz respeito sobre as fases pelas quais um projeto transita, desde seu início ao seu fim. É a partir deste ciclo que a estrutura base para o gerenciamento do projeto é fornecida, que se aplica independentemente do trabalho do projeto. Sendo assim, os ciclos de vida podem ser:

Preditivos: quando se conhece exatamente o que deve ser feito e ocorre um planejamento de todos os passos desde o começo do projeto.

Adaptativo: quando se planeja cada fase do projeto a partir do aumento do conhecimento do projeto enquanto é feita a sua execução.

Quando se trata do ciclo de vida do projeto, os que contém um ciclo de vida preditivo, fornecem informações suficientes para a realização de todo o planejamento nas etapas iniciais, e se essas informações estão em mãos e o planejamento não é feito de maneira assertiva, acontece um desperdício de planejamento e de otimização dos recursos, tanto os recursos de mão de obra, quanto os recursos financeiro. Contudo, se temos um projeto com ciclo de vida que deveria ser adaptativo, ou seja, onde precisa-se demandar muito esforço para realizar esse planejamento, uma vez que a incerteza é muito grande, ocorre que o planejamento fica engavetado pois ele terá muitas mudanças. Dessa forma, entender o contexto de um projeto para definir o seu ciclo de vida mais assertivo é de suma importância para a efetividade do projeto.

Dica 3: Entenda o contexto o qual o projeto está inserido

As indústrias são ambientes complexos, tanto internamente, considerando que há vários departamentos e stakeholders internos, quanto externamente, considerando as condições mercadológicas. Por este motivo, os projetos podem ser impactados de diferentes formas.
Segundo o Guia PMBOK®, fatores ambientais da empresa (FAE) são todas as condições que escapam do controle da equipe do projeto e que influenciam positivamente ou negativamente no mesmo, que restringem ou modificam o projeto, a cultura e a estrutura organizacional da empresa. Os fatores ambientes originam-se do ambiente externo ao projeto e com frequência estão fora da empresa.
Os FAE podem ter um impacto a nível de empresa, portfólio, programa ou projeto. Sendo assim, além deles impactarem diretamente na efetividade do projeto, também causam impacto dentro do contexto das 10 áreas de conhecimento do PMBOK®. São eles:

Cultura, estrutura e governança organizacionais.
Entre os exemplos incluem-se visão, missão, valores, crenças, normas culturais, estilo de liderança, relações de autoridade e hierarquia, estilo organizacional, ética e código de conduta.

Distribuição geográfica de instalações e recursos.
Entre os exemplos incluem-se localização de fábricas, equipes virtuais, sistemas compartilhados e computação na nuvem.

Infraestrutura.
Entre os exemplos incluem-se instalações, equipamentos, canais de telecomunicações organizacionais, hardware de tecnologia da informação, disponibilidade e capacidades existentes.

Software de tecnologia de informação.
Entre os exemplos incluem-se ferramentas de software para a elaboração de cronogramas, sistemas de gerenciamento de configuração, interfaces web para outros sistemas online automatizados e sistemas de autorização de trabalho.

Disponibilidade de recursos.
Entre os exemplos incluem-se restrições de contratação e compras, provedores e subcontratados aprovados e acordos de colaboração.

Capacidade dos funcionários.
Entre os exemplos incluem-se expertise, habilidades, competências e conhecimentos especializados de recursos humanos existentes.


Os fatores ambientais podem influenciar em seu projeto de forma positiva, veja alguns exemplos:
Estrutura organizacional projetizada: o gerente de projeto obterá mais autonomia no projeto e por conta disso terá mais opções de influenciar em seu sucesso. Inclusive, a estrutura organizacional projetizada deve ter maior maturidade em gerenciamento de projetos

Cultura organizacional colaborativa: quanto maior o incentivo para colaborar dentro da organização, maior as chances de se conseguir a colaboração da equipe do projeto;

Os fatores ambientais também podem influenciar em seu projeto de forma negativa, veja alguns exemplos:

Estrutura organizacional Funcional: o gerente de projeto terá pouca autonomia e dependerá muito dos gerentes funcionais para ter qualquer resultado ou informação do projeto em questão. Além disso, a estrutura organizacional funcional provavelmente terá uma menor maturidade em gerenciamento de projetos;

Cultura organizacional da culpa (onde são estimulados os conflitos e a desconfiança entre as pessoas): o gerente de projeto terá muita dificuldade em conseguir ajuda dentro da organização.


Independente da categoria do projeto, de sua complexidade técnica e do número de áreas e recursos envolvidos, todos eles têm algo em comum, precisam de planejamento e controle.


Os projetos acontecem em diversos níveis organizacionais, podendo envolver um único indivíduo ou diversos indivíduos, de uma ou de várias organizações. Neste contexto organizacional, os projetos visam levar a organização de um estado atual a um estado futuro, tendo em vista onde a mesma pretende chegar. O gerenciamento de projetos representa a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas de planejamento e execução para o melhor desempenho dos projetos, de forma que atinjam seus objetivos. Dessa forma, contratar uma empresa de consultoria em gestão de projetos como nós, da SIGMA GERENCIAMENTO DE PROJETOS, que utilizamos práticas e métodos reconhecidos e comprovados mundialmente, te trará mais otimização em seus projetos. Isto porque, apesar dos projetos serem essenciais, as indústrias precisam muita das vezes se concentrar em seu core business.


Fonte: PMBOK®

Deixe uma resposta