Como funciona o Gerenciamento de Projetos em obras planejadas a longo prazo?

O ambiente de construção civil é um ambiente complicado, com muitas variáveis e interdependências que precisam ser gerenciadas e equalizadas, mas não se trata de um ambiente necessariamente complexo, marcado pela imprevisibilidade. Entretanto, quando áreas de conhecimento importantes são negligenciadas durante o processo de planejamento do empreendimento, o mesmo pode se tornar um ambiente muito inóspito.

engenheiros analisando o projeto
O planejamento deve ser realizado pelo gerente de projeto, levando em conta a opinião de profissionais de diversas especialidades, afim de analisar as hipóteses do projeto a partir de vários ângulos.

Este nível de planejamento é o menos detalhado devido ao grande número de incertezas que ainda existem no projeto. É caracterizado pelo alto risco, grande incerteza, longa duração e pouco detalhamento. Detalhar excessivamente este nível, pode se mostrar muito ineficiente diante de uma situação de alta incerteza, uma vez que o tomador de decisão terá dificuldade em compreendê-lo e disseminá-lo, e o esforço para atualizá-lo ou revisá-lo será enorme. O excesso de detalhamento é um dos maiores inimigos do planejamento, podendo ser tão danoso quanto a falta de informação.

O principal foco deste nível é estabelecer os objetivos do empreendimento, bem como as estratégias de alto nível para atingi-las e o modelo de governança que será adotado. O primeiro passo é a definição da estratégia, seguido pela definição do modelo de governança e pela elaboração do plano do projeto. É importante que este planejamento seja realizado por representantes de várias áreas, com profissionais de diversas especialidades, afim de analisar as hipóteses de vários ângulos. Por exemplo: projetistas, arquitetos, produto, engenheiros de variada senioridade, mestre, segurança do trabalho e meio ambiente, orçamento, entre  outros.

É fundamental a participação do futuro gerente do projeto. O produto final desta fase é o plano do projeto contendo o detalhamento do escopo, as principais base-lines do projeto (custo, prazo), as premissas e restrições, os principais stakeholders e seus requisitos e expectativas, cronograma de suprimentos, marcos gerenciais e físicos, plano de ataque, fluxo de produção, início de contratações de longo prazo, projeto logístico de alto nível e projetos executivos.

O planejamento de longo prazo tem como horizonte toda a duração do empreendimento e é revisado somente quando existirem alterações significativas nos objetivos do projeto, que justifiquem uma reanálise (alterações de escopo, revisão de prazo ou custo, riscos significativos, etc.).

Um aspecto importante no planejamento de longo prazo é a definição da estratégia. Entenda-se como elaboração da estratégia a análise dos cenários possíveis e a identificação das variáveis críticas para o atingimento dos objetivos do projeto (riscos, oportunidades, pontos fortes e pontos fracos), de forma a definir a melhor forma de atingi-los. Neste processo definem-se os processos críticos, o modelo de governança adequado, o grau de autonomia necessário, as responsabilidades, etc.

Vista de um viaduto bem construído por algum engenheiro civil
É necessário avaliar os desafios de cada projeto e o ambiente em que o mesmo está inserido de forma a criar uma estratégia específica.

Existe uma característica de singularidade em cada projeto de construção civil. É necessário avaliar os desafios de cada projeto e o ambiente em que o mesmo está inserido de forma a criar uma estratégia específica. Diversas variáveis impactam a escolha da melhor estratégia, por exemplo: requisitos ambientais, vizinhança, clientes, fornecedores, condições econômicas, trânsito local, características do terreno, stakeholders envolvidos, prazo, desafio tecnológico, grau de inovação, estações do ano relacionadas à fase do empreendimento, maturidade da equipe, maturidade dos projetistas, dentre outras.

É necessário entender que, em função dos desafios do empreendimento, muda-se a importância de cada processo. Por exemplo, em um empreendimento cujo proprietário tem liberdade de alteração do projeto, controle de escopo é de fundamental importância, já em empreendimentos com sérios requisitos ambientais os processos de gestão ambiental são fundamentais. Em empreendimentos cujo prazo se apresenta como a principal restrição ou onde a grande imprevisibilidade, a velocidade na tomada de decisão é fundamental. Neste caso é necessário repensar inclusive o modelo de governança da empresa, buscando levar para próximo da operação profissionais que tenham a autonomia necessária para tomar as decisões, no menor tempo possível.

 

Deixe uma resposta