Como a escolha do gerente de projetos pode influenciar a construção civil

A coordenação de projetos é uma atividade de suporte ao desenvolvimento do processo do projeto, voltada à integração dos requisitos e das decisões do projeto. A coordenação deve ser exercida durante todo o processo e tem como objetivo fomentar a interatividade entre os membros da equipe e melhorar a qualidade dos projetos desenvolvidos.

A escolha da coordenação deve considerar a estratégia competitiva e a capacidade técnica e gerencial dos agentes envolvidos, bem como as características específicas de cada empreendimento.
A escolha da coordenação deve considerar a estratégia competitiva e a capacidade técnica e gerencial dos agentes envolvidos, bem como as características específicas de cada empreendimento.

Trata-se essencialmente de reconhecer que o projeto é um processo interativo e coletivo, exigindo assim uma coordenação do conjunto das atividades envolvidas, compreendendo momentos de análise crítica e de validação das soluções, sem, no entanto, impedir o trabalho especializado de cada um dos seus participantes.  Essa coordenação deve considerar aspectos do contexto legal e normativo que afeta cada empreendimento, estabelecer uma visão estratégica do desenvolvimento do projeto e levar devidamente em conta as suas incertezas.

De fato, cada caso é um caso e a escolha da coordenação deve considerar a estratégia competitiva e a capacidade técnica e gerencial dos agentes envolvidos, bem como as características específicas de cada empreendimento.

Assim, por exemplo, em uma obra de edifícios de uma empresa incorporadora e construtora com estratégia competitiva bem definida e ligada a uma tecnologia construtiva padronizada, a coordenação pode ser exercida por um coordenador interno que conheça bem essa cultura construtiva. No caso de uma empresa construtora sem grande domínio tecnológico sobre as suas obras e sem amplo conhecimento tecnológico e construtivo, a coordenação externa pode ser utilizada para aprimorar tecnologicamente o projeto e incrementar inovações construtivas.

Para uma pequena obra residencial ou em uma obra com um forte viés cultural como, por exemplo, um importante museu, teatro ou centro cultural, provavelmente o arquiteto autor do projeto seria o mais indicado para coordenar, seja pela simplicidade do empreendimento, seja pelo apelo cultural e criativo que a obra suscita.

Quanto ao relacionamento contratual entre o empreendedor e a coordenação de projetos, ela pode, ainda, ser desenvolvida interna ou externamente à estrutura de gestão do contratante de projetos. Assim, o coordenador de projetos pode ser um integrante dos quadros da incorporadora, ou da construtora; e pode ser um profissional externo, contratado por uma delas para o exercício dessa função, em um dado empreendimento.

Em todos esses casos, cabe à coordenação garantir que as soluções técnicas desenvolvidas pelos projetistas de diferentes especialidades sejam congruentes com as necessidades e objetivos dos clientes (empreendedores, investidores ou financiadores, usuários e demais partes interessadas), compatíveis entre si e com a cultura construtiva da empresa construtora que será responsável pelas respectivas obras.

As principais tarefas a serem cumpridas pela coordenação de projetos estão relacionadas à organização e ao planejamento do processo de projeto e a gestão e coordenação das soluções de projeto desenvolvidas. Para desempenhar a contento tais tarefas, o exercício da coordenação de projetos ressente-se, na prática, de orientações que possam nortear o trabalho e, principalmente, auxiliar a sua melhor caracterização aos olhos do empreendedor.

Deixe uma resposta